segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

As Festas Bíblicas e seus significados

(Hagag) é um verbo que significa “festejar” e deriva provavelmente da raiz “houng” que significa “círculo”, de onde origina a ideia de fazer uma roda, dançar evocando o rito das danças Sagradas, ou de andar em volta de um altar sacrificial, um rito de peregrinação quase universal. 

A ideia básica é observar uma festa ou celebrar um dia de “santificação”. Ordem de Deus para Faraó.

“Depois foram Moisés e Arão e disseram a Faraó: Assim diz o Senhor, o Deus de Israel: deixa ir o meu povo, para que me celebre uma Festa no deserto.” (Ex 5:1) 

 
O Substantivo “Hag” designa as vocações Sagradas durante as quais são realizados os ritos próprios de cada solenidade. Na Bíblia todas as Festas tem como origem um mandamento de Deus, mesmo quando suas raízes se encontram nos ciclos da natureza e das estações. O Mandamento é usado para expressar autoridade Divina. 

Todos esses dias estão baseados em Mandamentos específicos da Torah e será como memorial; no hebraico é “Zikarôm”. 

“Este dia vos será por memorial, e celebrá-lo-eis por Festa ao Senhor; nas vossas gerações o celebrareis por estatuto perpétuo.”(Ex 12:14)
 
“Dize aos filhos de Israel: No sétimo mês, ao primeiro do mês, tereis descanso solene, um memorial com som de trombeta, santa convocação.”(Lv 23:24) 

Portanto, as festas bíblicas são ordens sagradas do Senhor. Elas não são apenas judaicas; são, antes de mais nada, do Senhor, declaradas como estatuto eterno (Lv. 23:1-44). Essas festas não são um convite para que a Igreja volte à primeira aliança, mas para sustentar a mensagem que elas transmitem. Elas apontam para o fim, para o Cordeiro e falam da parusia, ou seja, a segunda vinda do Messias.

Principais Festas Bíblicas e seus Significados
1-  HAG PESSACH (PÁSCOA)

A Páscoa (Pessah) deve ser celebrada no 14º dia do primeiro mês do ano, pelo calendário hebraico. A ordem de Deus, neste sentido, encontra-se em êxodo 12:1-14 e em Levítico 23:4-5.
A doutrina ligada à Páscoa é a da redenção. Redenção tem a ver com libertação dos escravos.
Em seu significado histórico, a Páscoa alude à libertação que Deus concedeu a Seu povo Israel, da escravidão no Egito, relatada no livro de Êxodo. Deus livrou os israelitas na noite da décima praga, que foi a da morte de todos os primogênitos dos egípcios. Este livramento de morte foi obtido através do sacrifício de um cordeiro, com a aspersão do sangue nas ombreiras e vergas das portas, assim marcando as casas e protegendo o povo de Deus. O termo Páscoa vem do original Hebraico, Pessah, que significa, literalmente "passar sobre", referindo-se ao anjo da morte que, ao ver o sangue do cordeiro nas casas israelitas, dirigia-se a outra, passando sobre ela. A Festa de Páscoa se tornou um marco de contagem para todas as demais festas bíblicas.

2- HAG MATZAH (PÃES ASMOS)

Ocorre 1 dia após a Festa de Páscoa (Lv23.6-8).
Alguns confundem e acham que era comente a festa de Páscoa, mas não. A festa de Pães Asmos era a continuação da Festa de Páscoa. Esta festa durava 1 semana e simbolizava os pães asmos da sinceridade, de uma vida liberta, ou seja, a Festa de Páscoa foi celebrada por um povo ainda escravo, mas a Festa de Pães Asmos foi celebrada por um povo completamente livre.

3 - HAG BIKURIM (PRIMICIAS)

Ocorre 1 semana após a Festa de Páscoa e dura 7 dias (Lv 23:9-14). É o movimento das primícias da colheita.
Após sermos libertos, com a primeira semana sem o fardo da escravidão, já é possível apresentarmos os primeiros frutos de uma vida liberta sem o jugo do pecado, do mundo. É chamada de Festa das Primícias, pois são os primeiros frutos de quem acabou de se libertar. Claro que não são frutos tão robustos, mas já é possível ter força espiritual para apresentar frutos de quem rejeita voltar para o sistema de escravidão, de pecado, o mundo.

4- HAG SHAVUOT (PENTECOSTES)

Ocorre 7 semanas contadas a partir do 2º dia de Pessach. No 50º dia após a Festa de Páscoa é comemorada a Festa de Pentecostes durante 7 dias (Lv 23:15-21 / Cl 2:16).

Shavuot é uma das três festividades de peregrinação nas quais a visita a Jerusalém e ao Templo era obrigatória. As outras duas festividades são Pessach e Sucot.

Também foi nesse período que Deus entregou as tábuas da Lei para o povo de Israel, fazendo descer do céu a sua glória que foi manifesta a olho nu (Ex. 19.16) E nesse mesmo período o Espírito Santo (Ruach Ha Kodesh) desceu sobre os 120 discípulos que estavam no cenáculo em At. 3.

5- ROSH HASHANA (ANO NOVO)

Ocorre no 7 mês após a Festa de Páscoa. É considerada a virada do Ano Judaico.
A festa é celebrada durante 2 dias e nesse período os judeus festejam mais um ciclo completo na vida deles. (ver HAG ZICAROM TERUAH)


Ocorre no 1º dia do 7 mês após a Festa de Páscoa (Lv 23:23-25). É exatamente no mesmo dia de Rosh Hashana.
O mês de Tishrei (quando se realiza a festa) é o mês da Tribo de Dan. Isto tem um significado simbólico, pois quando Dan nasceu, sua mãe Lea disse: “Deus julgou-me e também atendeu à minha voz.” Dan e Din (Yom HaDin, Dia do Julgamento) são ambos derivados da mesma raiz, simbolizando que Tishrei é a época do Julgamento Divino e do perdão.

Nesta data, tocam-se as trombetas para santa convocação. Estas trombetas como buzinas alarmantes são para meditarmos: “em que eu fui transformado desde a festa de páscoa (da minha libertação) até o dia de hoje?” Essa indagação serve para fazermos uma auto-análise preenchendo uma lista contendo nossos erros, falhas, omissões, situações em que um filho de Deus liberto não pode admitir fazer parte da sua vida. Por isso, da mesma forma que Deus concede Sua graça, também nos entrega uma responsabilidade muito grande, qual seja, de sermos a imagem e semelhança Dele na terra. Devemos testemunhar com as nossas vidas, com as nossas obras, e não só de boca.

7- YOM KIPUR (DIA DO PERDÃO) Rosh Hashanah

Dia da Expiação Dia do perdão

Ocorre no 10º dia do 7º mês (Lv 23:26-32), após a Festa de Páscoa. Costuma-se jejuar 24h (25h quando está fora de Israel), não passar cremes, ou vestir roupas elegantes, deixando de lado toda vaidade, pois a intenção é afligir a carne para que o espírito prevaleça sobre nossas inclinações pecaminosas afim de obter o perdão de Deus.

“Naquele dia se fará expiação por vós para purificar-vos” (Lv 16:30 )

Os 10 dias que antecedem o Yom Kipur são os últimos dias para que o povo, individuo, igreja, possa se corrigir de suas falhas e pedir perdão de suas falhas e atos indignos.
          
É uma solenidade em que o próprio Deus instituiu para Israel na Torah a fim de guardar como memorial das sombras vindouras (o julgamento final). No evangelho, parte dessa sombra foi revelada com Jesus padecendo na cruz para não sermos consumidos por causa de nossas transgressões. O restante será completado quando Jesus vier a segunda vez.

8- HAG SUCOT (TABERNÁCULOS)

Sukkut - Festa de Tabernáculos,
festa das cabanas
Celebração da colheita; memorial das tendas no deserto
Oitavo dia santa convocação

Ocorre no 15º dia do 7º mês, ou seja após uma soma de 7 + 7 = 14. Essa Festa dura 7 dias completando uma sequência de 7 + 7 + 7 no 7º mês.

A ordem de Deus para celebrarmos a festa - compromisso dos Tabernáculos encontra-se em Levítico 23:34-43:

"Aos quinze dias deste sétimo mês será a festa dos Tabernáculos ao Senhor, por sete dias. No primeiro dia haverá santa convocação; nenhum trabalho servil fareis. Durante sete dias oferecereis ofertas queimadas ao Senhor, e no dia oitavo tereis santa convocação, e apresentareis ofertas queimadas ao Senhor. É dia solene; nenhum trabalho servil fareis... No primeiro dia tomareis para vós frutos de árvores formosas, folhas de palmeiras, e ramos de árvores cheias de folhas, e durante sete dias vos alegrareis perante o Senhor vosso Deus. Celebrareis esta festa ao Senhor durante sete dias a cada ano. É estatuto perpétuo pelas vossas gerações...Sete dias habitareis em tendas ...para que saibam as vossas gerações que eu fiz habitar os filhos de Israel em tendas, quando os tirei da terra do Egito. Eu o Senhor vosso Deus."

9- HAG SHABAT (DESCANSO)

Ocorre no 7 dia de cada semana (GN 2:2, Ex 31:12-15).
Shabat é uma festa semanal que costura todas as demais festas.
Perceba que as principais festas tem uma ligação de número 7. Seja por 7 dias, 7 semanas, 7 meses (a cada 7 anos o povo estudava toda Torah por completo) e o 7 milênio que fala da volta e reinado do Messias. O número 7 fala daquilo que é completo, pleno, perfeito.
No Éden tudo era completo, o homem via Deus em sua plenitude, pois não havia pecado, e tudo era perfeito, sem problemas, escravidão. Por isso o 7 dia recebeu por Deus o nome de “descanso”, pois o Éden era para ser um descanso eterno. Como já sabemos da história do pecado, também sabemos que Jesus veio resgatar o homem desse pecado originário e, se através do primeiro Adão, o pecado veio ao mundo, através do segundo Adão (Yeshua, Jesus) toda vida convertida a Ele também será liberto dessa natureza pecaminosa. Deus o tempo todo está dizendo: Voltem-se para mim, corrijam suas veredas e aqueles que vencerem receberão das mãos do rei Jesus a salvação. A restauração do Éden volta. Aquilo que era o princípio, volta a ocorrer, todo o processo de Deus com a humanidade é fazer com que volte para o Éden, mas para isso foi preciso correr uma longa jornada. Por isso Deus não deixa o homem esquecer de seu plano original fazendo-o lembrar do Éden a cada Shabat.

10- Hag Hanukkah – Dedicação

Hanuká (ou Chanucá) significa consagração ou dedicação. Esta festa é também conhecida no meio judaico como Festa das Luzes. Em João 10:22, vemos Yeshua (Jesus) passeando no Templo na comemoração da Festa da Dedicação. Essa passagem é a única passagem bíblica no Novo Testamento que se refere à referida festa. Não encontramos esta celebração no Antigo Testamento porque o fato que deu origem a esta festa ocorreu no ano 162 a.C.

A festa é comemorada ao longo de oito dias, a partir do dia 25 de Kislev, no calendário hebraico, coincidindo, quase sempre, com a segunda quinzena de Dezembro, no calendário gregoriano.

11- Hag Purim – Sorte

A Festa de Purim é celebrada todo ano em 14 de Adar. Comemora a salvação do povo judeu na antiga Pérsia da trama de Haman “para destruir, matar e aniquilar todos os judeus, jovens e velhos, crianças e mulheres, num único dia.”
Este fato bíblico está registrado no Livro de Ester.


BIBLIOGRAFIA

ALMEIDA, João Ferreira - Bíblia das Descobertas do Adolescente, Nova Tradução da Linguagem de Hoje, Editora SBB
GUIMARÃES, Marcelo M. - A Festa de Hanuká - http://ensinandodesiao.org.br/artigos-e-estudos/a-festa-de-hanuka/ - Acessado em 20/02/2014
FESTAS Judaicas (Chaguim)

PEREIRA, Périclis Chanukah – A Festa da Dedicação http://www.israelitas.com.br/festas/festasVer.php?id=3 - Acessado em 20/02/2014

OLIVEIRA, Sandra M. - Estudo das festas bíblicas http://www.montesiao.pro.br/estudos/festasbiblicas/estudo_festasbiblicas.html - Acessado em 20/02/2014
OLIVEIRA, Vaneri - Danças Circulares e do Mundo – Semeia Dança
ESTUDOS Sobre as Principais Festas Bíblicas - http://www.cristoepaz.com.br/estudos/Festas_biblicas.pdf - Acessado em 20/02/2014

Nenhum comentário:

Postar um comentário